domingo, 13 de setembro de 2009

Amo-te




Entre, amor, e fique à vontade
O meu corpo ainda tem saudade
Dos carinhos que davam nó
Mas, hoje, sinto-me triste e só

Olha, volte e esqueça o que passou
Tentarei esquecer também
Ainda te amo e o seu amor me deixou
Marcas das quais ainda sou refém

Ah! Amor, tem tantas coisas para lhe dizer
A primeira é falar e gritar bem alto que te amo
Para você nunca mais se esquecer

Dos carinhos que davam nó
Dos beijos que eram um sabor só
Dos abraços embaixo dos lençóis

E agora! Queria tanto dizer que te amo!

Sol pereira

12/09/2009

http://www.solchebor.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=1807284

Um comentário:

Helena C de Araujo disse...

E disse, de um jeito mais que especial!
É o amor que diz coisas tão bonitas!
Um beijo, Sol!